O Papa Francisco e o clericalismo na América Latina

O Papa Francisco e o clericalismo na América Latina

O Papa Francisco e o clericalismo na América Latina

Cidade do Vaticano (RV) – No nosso espaço Memória Histórica – 50 anos do Concílio Vaticano II, vamos continuar a tratar da Constituição DogmáticaLumen gentium, abordando no programa de hoje a questão do clericalismo na América Latina.

No programa passado, tratamos da “Eclesiologia no Brasil na época do Concílio”, oportunidade em que foi recordado que enquanto no Vaticano era elaborada a Lumen gentium, a Igreja no Brasil realizava a sua primeira Campanha da Fraternidade com o  tema “Igreja em Renovação” e lema: “Lembre-se: você também é Igreja”.

No programa de hoje, o Padre Gerson Schmidt nos propõe a reflexão “O Papa denuncia clericalismo na Igreja da América Latina”:

“O Concílio Vaticano II propõe uma nova visão da Igreja. Se podemos fazer em modelo de Igreja, se isso não for talhar e aprisionar o dom do Espirito Santo numa única forma, então diremos que o modelo que a Lumem Gentium propõe é a Eclesiologia de comunhão. O Papa Francisco dirigiu, em março deste ano, uma carta ao Cardeal Marc Ouellet, Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, onde recorda alguns trechos da Lumen gentium. Falei rápido outro dia. Vamos hoje aprofundar o pensamento do Papa, nesse resgate do cinquentenário desse documento conciliar:

Diz o Papa Francisco:

“Olhar continuamente para o Povo de Deus salva-nos de certos nominalismos declarativos (slogan) que são frases bonitas, mas não conseguem apoiar a vida das nossas comunidades. Por exemplo, recordo a famosa frase: ‘Chegou a hora dos leigos’ mas parece que o relógio parou” – o Papa parece aqui dizer que paramos no tempo e ainda não valorizamos a participação dos leigos, tão querida e desejada pelo Concílio. E continua o Sumo Pontífice: “Olhar para o Povo de Deus é recordar que todos fazemos o nosso ingresso na Igreja como leigos. O primeiro sacramento, que sela para sempre a nossa identidade, e do qual deveríamos ser sempre orgulhosos, é o batismo. Através dele e com a unção do Espírito Santo, (os fiéis) «são consagrados para serem edifício espiritual e sacerdócio santo» (O papa aqui cita literalmente o número 10 daLumen gentium, que faz parte do grande capítulo da Igreja Povo de Deus e que tem subtítulo Sacerdócio comum dos fiéis).

E lembra o Papa essa vocação primordial aos consagrados, aos presbíteros e bispos: “A nossa primeira e fundamental consagração funda as suas raízes no nosso batismo. Ninguém foi batizado sacerdote nem bispo. Batizaram-nos leigos e é o sinal indelével que jamais poderá ser cancelado. Faz-nos bem recordar que a Igreja não é uma elite de sacerdotes, consagrados, bispos, mas que todos formamos o Santo Povo fiel de Deus. Esquecermo-nos disto comporta vários riscos e deformações na nossa experiência, quer pessoal quer comunitária, do ministério que a Igreja nos confiou. Somos, como frisou o concílio Vaticano II, o Povo de Deus, cuja identidade é «a dignidade e a liberdade dos filhos de Deus, em cujos corações o Espírito Santo habita como num templo» (Lumen gentium, 9). O Santo Povo fiel de Deus foi ungido com a graça do Espírito Santo e, portanto, no momento de refletir, pensar, avaliar, discernir, devemos estar muito atentos a esta unção” – são afirmações do Papa nessa carta dirigida ao Cardeal Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina.

E nessa carta ainda o Papa denuncia o clericalismo, que a América Latina precisa enfrentar. Atentos para as palavras do Papa. Diz ele: “Ao mesmo tempo, devo acrescentar outro elemento que considero fruto de um modo errado de viver a eclesiologia proposta pelo Vaticano II. Não podemos refletir sobre o tema do laicato ignorando uma das maiores deformações que a América Latina deve enfrentar — e para a qual peço que dirijais uma atenção particular — o clericalismo. (…) O clericalismo leva a uma homologação do laicato; tratando-o como “mandatário” limita as diversas iniciativas e esforços e, ousaria dizer, as audácias necessárias para poder anunciar a Boa Nova do Evangelho em todos os âmbitos da atividade social e, sobretudo, política. O clericalismo, longe de dar impulso aos diversos contributos e propostas, apaga pouco a pouco o fogo profético do qual a inteira Igreja está chamada a dar testemunho no coração dos seus povos. O clericalismo esquece que a visibilidade e a sacramentalidade da Igreja pertencem a todo o povo de Deus e não só a poucos eleitos e iluminados”. Palavras fortes do Papa Francisco que quer resgatar a verdadeira eclesiologia do Vaticano II, que inverte a pirâmide, colocando os leigos no topo e a hierarquia a seu serviço. Vou repetir essa última frase importante do Papa: “O clericalismo esquece que a visibilidade e a sacramentalidade da Igreja pertencem a todo o povo de Deus e não só a poucos eleitos e iluminados”- (baseando-se nessa afirmativa em Lumen gentium, números 9 a14).

Portanto, o clericalismo – presente nos padres, bispos ou leigos – limita as diversas iniciativas e esforços eclesiais. Faz a Igreja retroceder, empobrece o verdadeiro sentido de colegiado, de todos pertencerem a esse Povo de Deus em marcha que caminha e que cada membro desse povo santo, participarem a seu modo, nos diversos carismas e ministérios, para a santificação e edificação do corpo de Cristo, a qual pertencemos todos. A hierarquia tem sua vocação. Mas não de abafar a iniciativa da participação efetiva dos fiéis leigos, nos seus ministérios específicos e variados, seja na Igreja, na política, na economia, no mundo, mergulhados como verdadeira luz para o mundo”

http://br.radiovaticana.va/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Religiões unidas por diagnóstico e tratamento infantil da Aids

Religiões unidas por diagnóstico e tratamento infantil da Aids

RELIGIÕES E AIDS

Roma (RV) – Organizações de inspiração religiosa estão reunidas em Roma para debater diagnóstico precoce e tratamento de crianças que vivem com o vírus HIV.

OUÇA A ENTREVISTA ACESSANDO O LINK ABAIXO

http://br.radiovaticana.va/news/2016/04/12/tratamento_da_aids_em_crian%C3%A7as_em_debate_em_roma/1222089

No ano passado, a Agência da ONU que trata do vírus (Unaids) anunciou a conquista de uma meta mundial ao conseguir proporcionar tratamento antirretroviral a 15 milhões de pessoas. Todavia, somente 1/3 das crianças que vivem com o HIV recebem o diagnóstico e os cuidados necessários.

A convite da Caritas Internacional, especialistas no tema estão traçando no Hospital Pediátrico “Bambino Gesù” as bases para um projeto de ampliação do diagnóstico infantil e o tratamento da Aids.

A Caritas Internacional considera que as organizações de inspiração religiosa constituem uma ampla rede comunitária e são essenciais para o cuidado das crianças e das mães que convivem com o vírus.Participam deste encontro de três dias (até 13/04) o Diretor Adjunto dos Programas da Unaids, o brasileiro Dr. Luiz Loures, o Arcebispo de Abuja (Nigéria), o Cardeal John Onaiyekan, cientistas, advogados comprometidos com a ampliação do acesso ao tratamento para crianças, além de representantes de organizações de inspiração católica, de organizações ecumênicas e inter-religiosas implicadas no tratamento de pessoas infectadas com o HIV.

A reunião pode ser seguida no canal Youtube do Hospital “Bambino Gesù”.

Pastoral da Aids no Brasil

Enquanto isso, o tema da Aids também será submetido à atenção dos Bispos que participam da Assembleia da CNBB em Aparecida. O referencial da Pastoral da Aids no Brasil, Dom Eugênio Rixen, Bispo de Goiás, falará em plenário sobre as atividades dos agentes e voluntários que atuam há 14 anos em grande parte do território brasileiro. “A Pastoral da Aids obedece à lógica do bom samaritano, disse ele em entrevista a Silvonei José. “É a Pastoral do acompanhamento e não da condenação.”

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Ação da Igreja é fundamental para crianças com Aids, diz Unaids – Radio Vaticano

medico luis loures

Ação da Igreja é fundamental para crianças com Aids, diz Unaids

Cidade do Vaticano (RV) – Mais de 3 milhões de crianças no mundo inteiro vivem com a Aids, porém somente 900 mil têm acesso aos antirretrovirais. Com o objetivo de estudar novas estratégias para levar os medicamentos a mais crianças, a Caritas Internacional e a Unaids reúnem até amanhã, em Roma, especialistas no assunto.

Tudo para fortalecer o engajamento das comunidades de base para que realizem o diagnóstico precoce e melhor atuem no contexto das crianças que convivem com a doença.

A Rádio Vaticano entrevistou o Diretor-Executivo Adjunto da Unaids, o médico brasileiro Luiz Loures, que vê na Igreja uma aliada fundamental para fazer chegar os medicamentos a mais crianças. Sobre a questão preservativo mudança de comportamento, defende a combinação de ações para um resultado positivo. Ele também fala da importância do teste já que, quem trata, não transmite.

OUÇA A ENTREVISTA ACESSANDO O LINK  ABAIXO  http://br.radiovaticana.va/news/2016/04/12/a%C3%A7%C3%A3o_da_igreja_%C3%A9_fundamental_para_crian%C3%A7as_com_aids/1222224

Luiz Loures: Eu considero essencial a parceria com as Igrejas para que nós consigamos chegar ao fim da Aids. Quando existe exclusão, quando existem problemas como vemos hoje de um acesso diferencial a tratamento com as crianças que são deixadas para trás, a Igreja pode ajudar muito. Caritas, por exemplo, com as suas missões, suas instituições…   A diferença que existe é que, quando Caritas trabalha, quando Caritas está no campo, não se restringe ao tratamento dentro do hospital, dentro do ambulatório. Mas eles acessam a comunidade, acessam a família, e isso é fundamental para que nós tenhamos uma proporção maior de crianças acessando o tratamento.

Não é só a droga, não é só o remédio: é o contexto que é superimportante. O contexto familiar, o contexto pessoal e o contexto social dessas crianças. Imagina uma situação onde a criança tem acesso ao remédio e é discriminada na escola: não vai resolver.

Ela vai acabar deixando o trabalho e a escola. E a Igreja tem por definição uma abordagem contextualizada, uma abordagem que tome em conta aspectos que para mim são tão importantes quanto garantir o medicamento.

***

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

MOMENTO DE AGRADECER

Esta encerrando o ano de 2015…

estivemos juntos todos os dias deste ano…

procuramos levar ate você musicas…

entretenimento…informações de qualidade…para ter você

conosco…

agradecemos sua companhia – razão maior da nossa existência…

obrigado sempre…

Estamos preparando uma nova e atrativa programação para 2016…aguardem maiores informações…

conecte http://sosvida.maxisite.com.br/ ou
http://tunein.com/radio/Sos-Vida-s233123/
no seu celular use o aplicativo tunein
VENHA CONOSCO NESTA LINDA VIAGEM CHAMADA VIDA

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Os números de 2015

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 730 vezes em 2015. Se fosse um bonde, eram precisas 12 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Programação WEB RADIO SOS VIDA

no ar

conecte http://sosvida.maxisite.com.br/ ou
http://tunein.com/radio/Sos-Vida-s233123/
no seu celular use o aplicativo tunein
VENHA CONOSCO NESTA LINDA VIAGEM CHAMADA VIDA

dom gegorio pastor elton no ar especial sertanejo especial roberto carlos especial mph especial fim de semana amigos em ação ajudev nos a ajudar petroliga sol e luz fora de campo equipe flash club um brinde aos loucos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

EMOCIONANTE carta para um dependente químico da sua mãe – WEB RADIO SOS VIDA

Carta para um dependente químico da sua mãe – WEB RADIO SOS VIDA

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário